Prefeitura pede que barcos interrompam resgates por conta de chuva, vento e risco de descargas elétricas

Prefeitura pede que barcos interrompam resgates por conta de chuva, vento e risco de descargas elétricas

 

Moradores se deslocam em barcos após inundações devido a fortes chuvas em Porto Alegre, Rio Grande do Sul — Foto: NELSON ALMEIDA / AFP

A Prefeitura de Porto Alegre pediu na tarde desta quarta-feira a suspensão de operações de resgate por meio de barcos na zona metropolitana. A solicitação foi motivada pelas chuvas na região, com possíveis descargas elétricas e ventos acima de 80 km/h nas próximas horas. A capital gaúcha enfrenta enchentes desde a última semana. Ao todo, o Rio Grande do Sul contabiliza 100 mortes decorrentes dos temporais.

"Atenção! Pedimos que os barcos em operações de resgate suspendam temporariamente suas atividades, devido à previsão de chuva de até 15mm, possíveis descargas elétricas e ventos acima de 80 km/h nas próximas horas na Região Metropolitana", publicou o Centro Integrado de Coordenação de Serviços (Ceic Porto Alegre), na rede social X (ex-Twitter).

Queda de drone

Uma Aeronave Remotamente Pilotada (ARP) da Força Aérea Brasileira (FAB) caiu e colidiu com o solo em área desabitada nesta terça-feira. O drone estava sendo usado para auxiliar no resgate de isolados após os temporais que atingiram o Rio Grande do Sul desde o fim de abril.


“Uma Aeronave Remotamente Pilotada (ARP), da FAB, que é empregada nas missões de apoio aos atingidos pelas enchentes no Rio Grande do Sul, apresentou durante sua operação um problema técnico e veio a colidir com o solo, em região desabitada, nesta terça-feira (07/05).A Força Aérea informa que o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) vai investigar os fatores contribuintes da ocorrência aeronáutica", diz a nota da FAB.


O modelo israelense RQ-900 — aeronave não tripulada e pilotada remotamente — pertence à Base de Santa Maria e vai sobrevoar locais atingidos em busca de pessoas em situação de risco. Esse modelo pode voar por 36 horas sem precisar reabastecer e atinge altitudes de até 9 mil metros (30.000 pés). O drone já tinha ajudado a resgatar 36 pessoas em apenas 24 horas de voo.


Número de mortes sobe para 100

O número de mortes em decorrência das chuvas que atingem o Rio Grande do Sul subiu para 100, de acordo com o último boletim da Defesa Civil do estado, divulgado no começo da tarde desta quarta-feira. Há ainda o registro de 128 desaparecidos e estima-se que o temporal tenha atingido pelo menos 1,4 milhão de pessoas até agora.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem